Teoria da Comunicação

De todas as teoria do mundo da comunicação, a que mais me encanta é a mais simples. E a sua simplicidade afasta as pessoas do princípio da comunicação: o entendimento.

 

Ela nasceu da visão de um técnico de rádios que estudava seu funcionamento.

De forma prática ele definiu alguns passos para o entendimento da mensagem: Emissor, codificador, receptor.

E, naquela realidade de mercado ele mudou o mundo.

Criando os princípios de todas as modernas teoria que perduram até hoje com uma simples combinação de ações e funções assim designadas:

 

Emissor ou destinador: alguém que emite a mensagem. Pode ser uma pessoa, um grupo, uma empresa, uma instituição.

 

Receptor ou destinatário: a quem se destina a mensagem. Pode ser uma pessoa, um grupo ou mesmo um animal, como um cão, por exemplo.

 

Código: a maneira pela qual a mensagem se organiza. O código é formado por um conjunto de sinais, organizados de acordo com determinadas regras, em que cada um dos elementos tem significado em relação com os demais. Pode ser a língua, oral ou escrita, gestos, código Morse, sons etc. O código deve ser de conhecimento de ambos os envolvidos: emissor e destinatário.

 

Canal de comunicação: meio físico ou virtual, que assegura a circulação da mensagem, por exemplo, ondas sonoras, no caso da voz. O canal deve garantir o contato entre emissor e receptor.

 

Mensagem: é o objeto da comunicação, é constituída pelo conteúdo das informações transmitidas.

 

Referente: o contexto, a situação aos quais a mensagem se refere. O contexto pode se constituir na situação, nas circunstâncias de espaço e tempo em que se encontra o destinador da mensagem. Pode também dizer respeito aos aspectos do mundo textual da mensagem.

 

Veja os dois textos a seguir:

 

Caro Elon, Amanhã não poderei ir à reunião. Por favor, vamos agendar nosso encontro para semana que vem. Felix

 

Уважаемый Элон Маск, завтра я не могу пойти на встречу. Пожалуйста, давайте назначим нашу встречу на следующей неделе. Феликс

 

Nos dois exemplos de comunicação, podemos perceber que uma pessoa (o emissor) escreveu alguma coisa a outra ou outras (o destinatário), dando uma informação (a mensagem). Para isso precisou de papel ou da tela do computador, transformou o que tinha a dizer em um código, (a língua – no texto A, a língua portuguesa; no texto B, a língua russa). Além disso, o emissor, precisou selecionar um conjunto de vocábulos (ou de sinais) no código que escolheu.

 

Todo sistema de comunicação é constituído por esse conjunto de elementos, que entra em jogo em cada ato de comunicação para assegurar a troca de informações. Em um esquema, os elementos da comunicação podem ser representados assim:

 

Contexto

Mensagem

 

Emissor   Destinatário

Canal

Código

 

Nem sempre a troca de informações é bem sucedida. Denomina-se ruído aos elementos que perturbam, dificultam a compreensão pelo destinador, como por exemplo, o barulho ou mesmo uma voz muito baixa. O ruído pode ser também de ordem visual, como borrões, rabiscos etc.

O Simples que torna belo é entender que a natureza do sucesso mora entre o Emissor e o Destinatário. Quanto mais direta e limpa for a mensagem, mais fácil será o entendimento,