3 Estratégias de Marketing Para Aprender com o Mercado da Maconha:

 

Talvez, você nunca tenha imaginado estudar estratégias de marketing, para o mercado (legal) da maconha.

Para ser sincero, nem eu!

Porém,

Um bom “marketeiro” tem que olhar para o futuro, sentir as tendências e estudar novas estratégias para entrar arrebentando no mercado.

Como a legalização e descriminalização da erva (em alguns mercados) é algo muito recente,

Esta é uma grande oportunidade para conquistar um mercado novinho em folha.

Agora é a hora certa de definir o público alvo, oferta, posicionamento estratégico,

Enfim,

É um prato cheio para profissionais de marketings apaixonados aplicarem todas as estratégias que já aprenderam.

Neste artigo, vamos destacar 3 estratégias incríveis de marketing que você pode aprender com esse mercado tão peculiar, o da maconha.

1. Gourmetize o Mercado:

Qual o público que você quer atingir?

Isso é algo que você deve ter em mente em todas as ações de marketing da sua marca.

Na verdade, pouco importa o produto que você vai promover.

É através desse questionamento que o seu público alvo será definido.

Por que as pessoas acham caro um brigadeiro simples a R$ 2,00 e pagam R$ 5,00 sem reclamar, em um brigadeiro “gourmet”?

É simplesmente por ser um doce “diferenciado”.

Agora, trazendo o exemplo para o estudo da maconha.

Sim,

Já gourmetizaram a erva.

Para você ter uma noção, a loja de departamento de luxo Barney’s criou uma linha de produtos de maconha dentro da sua loja em Beverly Hills.

Além da erva, eles vendem vários acessórios com adornos de pedras preciosas, design incrível e super acabamento.

Em outras palavras, estão agregando valor ao produto para faturar mais.

Esta é uma ótima estratégia de marketing!

2. Dê Atenção ao seu Nicho:

Sabemos que a ideia de oferecer seu produto, seja ele qual for, para o mundo inteiro, em larga escala é tentadora, mais aí te pergunto:

Essa é uma boa estratégia de marketing?

  • Será que os atuais consumidores de maconha continuarão tendo a mesma sensação de exclusividade que eles têm hoje, se o consumo da erva começar a ser normal entre pais de família “caretas”?
  • Será que os clientes da Apple continuariam fazendo filas e mais filas nos lançamentos da marca, se todo mundo tivesse um celular com a “maçãzinha”?
  • Será que a Nike continuaria sendo essa gigante se baixasse drasticamente os seus preços?

Por isso, seja qual for o produto que você esteja fazendo marketing, é muito importante dar atenção extra ao seu público alvo.

Por ser algo diferente e até “rebelde”, os consumidores de maconha sentem que pertencem a uma espécie de “Clube”.

Tirar essa sensação de possíveis clientes, pode ser um tiro no seu pé.

Seria como retirar os participantes do camarote de uma festa e colocá-los na pista, junto com todo mundo.

Melhor não arriscar,

Ok?

3. Seja Criativo:

Não podemos negar que ainda há preconceito ao se falar em uso recreativo da maconha.

No Brasil, agora que estão começando a liberar a erva, apenas para o uso medicinal.

Uma boa estratégia de marketing é ser criativo e começar a pensar em produtos que utilizem a maconha como matéria prima.

Assim, aos poucos ela é introduzida no mercado e a impressão negativa da planta vai acabando.

Um exemplo disso é a marca Not Pot que usa a maconha para produzir balinhas gummy.

Apesar, de estar consumindo a erva, parece muito mais aceitável apenas degustar um docinho do que fumá-la.

Outro exemplo interessante, é a marca Hemp Eyewear.

Ela usa a erva como matéria prima para produzir armações de óculos.

Além do apelo de nicho, a marca se destaca por ser sustentável já que usa, material ecologicamente correto ao invés de plásticos em seus produtos.

Outra estratégia de marketing incrível.

E você?

Qual das lições vai usar no seu próximo projeto de marketing?

Deixe aqui nos comentários!