Branding: a palavra da vaz

 

Sou muito fã de UFC, e estatisticamente, uma luta leva pouco mais de minutos para acabar.

Eu seria tolo em pensar que a luta se ganha no octógono, você não concorda?

Muito antes de chegar ao ringue, o atleta tem inúmeras tarefas para realizar. Ele tem que passar por vários gates, várias provas eliminatórias de perícia e resistência para ser um dos que lutará sob holofotes.

Deve conhecer diferentes técnicas de luta, seja para atacar ou para se defender.

Deve treinar força e resistência, quem já praticou alguma arte marcial sabe o nível de esgotamento que é.

Deve se relacionar com as pessoas certas, e ser notado.

Assim como Uma marca.

Vejo, no atual Marketing Digital uma leva de produtos sendo ofertados, e muitos produtores ficando ricos, mas, quando mergulhamos no histórico, vemos que se fosse uma luta de verdade, eles certamente teriam azulado.

Muito antes do ringue, muito antes da call to action, muito antes do Lead existe a marca e o branding sustentando tudo.

O foco do processo de marcar é criar uma singularidade num universo mercadológico. As marcas são conectores de significados aos clientes. Estes clientes são seres com necessidades, desejos e aspirações.  E a tradução destes fatores em uma linguagem visual é a definição existencial de um marca.

Como estes intangíveis se materializam na marca e qual o caminho para chegar até ela, é parte de um processo que pode ser assim descrito, antes mesmo de definir o que vender, definir quem somos, e como queremos ser vistos:

  1. Definir nossa missão, visão, valores e objetivos são determinantes para que a estratégia tenha uma orientação;
  2. Conhecer-se. Saber nossas fraquezas e forças, bem como conhecer as oportunidades e ameaças do mercado.

A partir deste momento definir o produto ou serviço:

  1. Suas características e os benefícios para o cliente.
  2. Defina as necessidades e desejos.
  3. Defina seu público, seu nicho seu e seu Avatar.
  4. Pesquise para saber o tamanho do seu mercado.
  5. Pratique benchmarking.

O próximo passo é identificar o diferencial do produto/serviço. Identificar as características do produto que são significativas e diferencia ele dos demais no mercado.

O que te torna um lutador único?

Agora podemos definir o posicionamento definindo uma razão concreta para a compra do seu produto ou serviço:

• A melhor qualidade

• O melhor desempenho

• A maior confiabilidade

• A maior segurança

• A maior velocidade

• O menor preço

• O maior prestígio

• O melhor estilo

• A maior facilidade de uso

Por que o consumidor deveria comprar o seu produto e não do concorrente?

Feito isso, devemos nos empenhar em comunicar tudo isso. Verifique se a marca de seu produto atende às características abaixo:

  • Menciona o benefícios/diferenciais do produto. (lembre-se: atributos funcionais, emocionais ou de auto expressão)
  • É fácil de pronunciar, reconhecer, lembrar.

Crie uma mensagem ou Slogan para comunicar este posicionamento. Seja prático e objetivo, brilhante mas simples.

Alinhe toda sua comunicação e vá a luta.

Uma marca é a representação visual de uma rede de pensamentos e associações feitas apenas na cabeça do consumidor. Para que ela seja lembrada, é preciso que tais associações sejam parte da vida dos compradores e estejam em sincronia com o que eles acreditam.

O estilo de vida que sua marca propõe vende qual imagem de atitudes e personalidades? Pense junto com a sua equipe, convide eles a fazer este exercício. Branding é muito além de uma palavra bonitinha.

A luta é ganha muito antes do ringue, ela se vence no momento da construção da marca.


 

Já conhece nosso produto pra Inovar?


Leia também:

https://www.felixpolo.com/artigos/o-que-e-nicho-de-mercado/