Processos Criativos e Empreendedorismo

Processos criativos e empreendedorismo são áreas de estudo que compõem eixo da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que propõe que o aluno tenha 5 horas diárias de aulas no Ensino Médio. O restante seria aprofundado em áreas de linguagens, matemática, ciências e outras, com disciplinas baseadas nos eixos de itinerários formativos.

Com essa iniciativa, o Brasil caminha com uma visão de futuro mais clara, pois compreende bases de estudo que impulsionarão a economia e o desenvolvimento.

O MEC publicou na última semana uma mudança na portaria Nº 1.432 esta mudança. As novas áreas vão orientar os chamados itinerários formativos, ou seja, as atividades que os estudantes poderão escolher.

“A intenção é que, a partir de 2021, as novas turmas do ensino médio entrem nas redes, sejam públicas ou particulares, em um novo ensino médio, mais antenado como a garotada, com esses jovens que hoje estão na escola. Isso é muito importante”, disse a ex-secretária de Educação Básica do MEC, Kátia Smole, que coordenou a elaboração dos referenciais em entrevista à Agência Brasil.

4.2. Processos Criativos

Este eixo tem como ênfase expandir a capacidade dos estudantes de idealizar e realizar projetos criativos associados a uma ou mais Áreas de Conhecimento, à Formação Técnica e Profissional, bem como a temáticas de seu interesse.

Justificativa: Para participar de uma sociedade cada vez mais pautada pela criatividade e inovação, os estudantes precisam aprender a utilizar conhecimentos, habilidades e recursos de forma criativa para propor, inventar, inovar.

Objetivos:

– Aprofundar conhecimentos sobre as artes, a cultura, as mídias e as ciências aplicadas e sobre como utilizá-los para a criação de processos e produtos criativos;

– Ampliar habilidades relacionadas ao pensar e fazer criativo;

– Utilizar esses conhecimentos e habilidades em processos de criação e produção voltados à expressão criativa e/ou à construção de soluções inovadoras para problemas identificados na sociedade e no mundo do trabalho.

4.4. Empreendedorismo

Este eixo tem como ênfase expandir a capacidade dos estudantes de mobilizar conhecimentos de diferentes áreas para empreender projetos pessoais ou produtivos articulados ao seu projeto de vida.

Justificativa: Para participar de uma sociedade cada vez mais marcada pela incerteza, volatilidade e mudança permanente, os estudantes precisam se apropriar cada vez mais de conhecimentos e habilidades que os permitam se adaptar a diferentes contextos e criar novas oportunidades para si e para os demais.

Objetivos:

– Aprofundar conhecimentos relacionados ao contexto, ao mundo do trabalho e à gestão de iniciativas empreendedoras, incluindo seus impactos nos seres humanos, na sociedade e no meio ambiente;

– Ampliar habilidades relacionadas ao autoconhecimento, empreendedorismo e projeto de vida;

– Utilizar esses conhecimentos e habilidades para estruturar iniciativas empreendedoras com propósitos diversos, voltadas a viabilizar projetos pessoais ou produtivos com foco no desenvolvimento de processos e produtos com o uso de tecnologias variadas.

Sobre Sexo, cocô, parasitas e o desejo de empreender – um estudo que conecta tudo isso

Sexo, cocô, parasitas e o desejo de empreender, uma pesquisa publicada no jornal Proceedings of the Royal Society B, nos Estados Unidos, mostrou que há uma possível conexão entre o comportamento empreendedor e um parasita encontrado nas fezes dos gatos. Ao que parece, a vontade de abrir um negócio aumenta quando os seres humanos entram em contato com o protozoário Toxoplasma gondii.

A toxoplasmose pode causar graves complicações para gestantes e pessoas com o sistema imunológico debilitado.

Mas, de acordo com a pesquisa, o contato com o parasita também “ativa” a veia empreendedora das pessoas. Stefanie Johnson, autora do estudo realizado pela Lees School of Business, afirmou que a correlação entre a exposição ao T. gondii e o comportamento empreendedor é real.

Mas como chegaram a tal conclusão sobre empreender?

Segundo a autora, nações com maior número de infectados se mostraram com menos medo de fracassar na hora de abrir um negócio. “Novos negócios têm altas taxas de insucesso. Então ter medo é racional. O que a gente percebe é que talvez a T.gondii reduza o medo racional das pessoas.”

A pesquisa foi realizada com 1495 estudantes da escola de negócios. Em 22% do grupo foi notado a toxosplamose – a infecção é bem comum. A partir desse dado, chegaram à conclusão que pessoas infectadas têm 1,8 mais chances de abrir um negócio e empreender que uma pessoa livre do parasita.

O protozoário Toxoplasma gondii está presente em fezes de gatos, águas contaminadas e comidas cruas. O protozoário Toxoplasma gondii está presente em fezes de gatos, águas contaminadas e comidas cruas.

O argumentou ganhou força quando a equipe de Stefanie realizou a comparação em outros países. Ao todo, foram analisadas as taxas da infecção e de predisposição a empreender em 42 países. Segundo Stefanie, países com mais taxoplasmose empreendem mais.

Me lembro de outra pesquisa mais antiga associada a toxoplasmose que chegou a conclusão que fetiches sexuais e a desinibição poderia estar associada ao protozoário.

A questão central das duas pesquisas não é o sexo e nem o desejo do empreendedorismo, mas o medo. O medo é a principal barreira que deve ser ultrapassada para o sucesso, neste caso, nos negócios ou na vida íntima.

Sucesso, nos dois!

Os 4 P’s do Marketing

Os 4 p's do marketing

Também chamado de Composto de Marketing ou Marketing Mix, os 4 P’s são o conjunto de variáveis que determinam o posicionamento do produto no mercado, de acordo com o estudo do professor Jerome Mc Carthy (1978), que separou e classificou as quatro categorias. O Marketing Mix é composto por produto, preço, praça e promoção. Este composto mercadológico foi definido por Philip Kotler em 1998 como “o conjunto de ferramentas e estratégias que a empresa usa para atingir seus objetivos de marketing no mercado-alvo”.

Produto

O produto por ser físico ou um serviço, é aquilo que é oferecido aos consumidores. Nos dois casos, há uma necessidade de se atentar ao que se refere em cada produto, no caso dos serviços é preciso observar aspectos como local, tipo de serviço, condições de trabalho, entre outros. Já os produtos físicos aspectos como função, embalagem, design, aparência, acabam sendo os objetos de estudo.

Outra coisa a ser observada é o ciclo de vida do produto, desde sua introdução no mercado, ascensão, declínio, até a sua retirada.

Preço

Essa etapa é mais abrangente, pois depende de diversos fatores sobre o produto para se chegar a uma definição de preço, como o segmento de mercado, perfil do consumidor, aspectos culturais, regionais, dentre outros fatores que podem comprometer de alguma forma os valores.

Existem várias estratégias para definir o preço de um produto ou serviço, mas é preciso um estudo aprofundado sobre o que tange os valores a serem introduzidos no mercado, como financiamento, crediário, prazo médio, descontos, condições de pagamento, entre outros.

Praça

Categoria que define onde será comercializado o produto, onde será vendido, como chegará ao consumidor. Os pontos de venda, como são chamados, são os canais de distribuição e logística que fazem parte do estudo que envolve a cobertura e abrangência de áreas de atuação.

É importante ter um controle aprofundado de estoque e transporte, utilizando como base as cinco vertentes: fluxo de informação, fluxo de propriedade, fluxo de pagamento, fluxo físico e fluxo de promoção. Assim é possível analisar os melhores locais para a distribuição de seu produto.

Promoção

Promoção refere-se à publicidade do produto, ou um conjunto de estratégias de relações públicas, trade-marketing e propaganda voltada à promoção no mercado-alvo. Através da promoção é possível criar conceitos e posicionamentos sobre a marca, despertar necessidade de compra, desejo e fidelidade.

Para que as ações definidas nas estratégias funcionem, é preciso fazer uso constante da ferramenta de relações públicas, é ela que dá suporte perante o cliente através de ações institucionais, criando facilidade na análise de mídias a serem utilizadas através do estudo dos hábitos do consumidor, otimizando campanhas de acordo com cada tipo de público.

Hoje em dia existem alguns outros P’s introduzidos não oficialmente neste estudo, visando estreitar cada vez mais as relações de troca. Estudos que envolvem psicologia, finanças, dados demográficos e muitos outros fatores que determinam as tendências de mercado, fatores esses que influenciam diretamente e positivamente na criação e otimização de produtos, serviços e novas soluções de negócios pelo mundo todo.

Referências: 
“Marketing Management” *2006 – Kotler, PHILIP & Keller, KEVIN

“OS 4Ps DO COMPOSTO DE MARKETING NA LITERATURA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO” *2000 – Angélica do Amaral, SUELI

Arquivo FMU -* 2015

www.comosermaiscriativo.com

O que é Kaizen

kaisen

Kaizen é uma palavra de origem japonesa que significa mudança para melhor.

Convencionamos a utilizar o termo para designar um processo de melhoria contínua.

Ser hoje melhor que ontem e amanhã melhor do que hoje.

Empresas cada vez mais fortes, um mercado cada vez mais exigente, consumidores cada vez mais apressados. Todos esses fatores juntos tem contribuído para o método kaizen ser cada vez mais difundido dentro de organizações em geral, independente do seu tamanho.

Nesse momento, muitas pessoas têm se deparado pela primeira vez com esse termo, outras até conhecem um pouco, mas não sabem verdadeiramente o que significa e de onde surgiu.

Essa palavra sugere uma melhoria que envolve a todos, gerentes e operários, inferindo também o significado de baixas despesas. A filosofia Kaizen sugere que a nossa maneira de viver, tanto no ambiente profissional quanto no pessoal, deve estar focada em um esforço constante de melhoria.” (Masaaki Imai –  Guru da Gestão Enxuta).

Essa para mim é a melhor definição de Kaizen, pois abrange tudo aquilo que o Kaizen aborda. Mas se quiser mais definições, é: Ensinar as pessoas a terem recursos;

Uma cultura de melhoria contínua; Perseguir uma meta; Transferência de conhecimento; Saber quando eliminar, reduzir ou mudar uma atividade.   

www.comosermaiscriativo.com

O que é Holding

Hold é um termo da língua inglesa que significa manter, guardar.

No mundo da bolsa de valores e das ações a técnica de Hold é uma forma de apostar no crescimento de determinada ação de uma empresa para avaliar se no futuro esta ação deve ou não ser vendida.

Uma Holding Empresarial é uma empresa que detém a maior parte das ações ordinárias

(ação que garante a quem a possui o direito a voto e à participação nas decisões da companhia) de outras empresas.

Holding é uma sociedade criada com o objetivo de administrar um grupo de empresas. Na holding, a empresa criada para administrar possui a maioria das ações ou quotas das empresas componentes de determinado grupo de empresas.

Essa forma de sociedade é muito utilizada por médias e grandes corporações e normalmente visa melhorar a estrutura de capital da empresa ou como parte de alguma parceria com outras empresas.

Dentre as principais funções de uma Holding podemos citar:

  • Manter majoritariamente ações de outras empresas;
  • Ter o poder de controle;
  • Não necessitar operar comercialmente e não dever operar industrialmente;
  • Manter minoritariamente ações de outras empresas com a finalidade de investimento.

Uma Holding pode ser classificada como:

Holding pura: sociedade cujo objeto social é a participação no capital de outras sociedades.

Hold de participação: quando a participação é minoritária, mas há interesse por questões pessoais de se continuar em sociedade.

Holding familiar: visa controlar o patrimônio de uma ou mais pessoas físicas de uma mesma família que possuam bens e participações societárias em seu nome.

O que é Nicho de Mercado

Um nicho de mercado é um subconjunto de um mercado maior, com suas necessidades ou preferências particulares, que podem ser diferentes do mercado maior. Por exemplo, no mercado de calçados femininos, há muitos nichos ou segmentos diferentes. Sapatos para mulheres veganas seriam um nicho de mercado, sapatos para enfermeiras ou até mesmo sapatos para trabalhos pesados. Todos seriam nichos de mercado dentro do maior mercado de calçados femininos.

O que ele faz?

Quase todo mercado pode ser mais refinado, ou dividido, pelas necessidades e preferências particulares de seus constituintes. Algumas das formas mais comuns de definir um nicho são baseadas em:

  • Preço (alto, moderado, desconto)
  • Base demográfica (sexo, idade, nível de renda, nível de escolaridade)
  • Nível de qualidade (premium, alta, moderada, baixa, barata)
  • Psicografia (valores, interesses, atitudes)
  • Geográfico (a localização precisa do comprador)

Marketing focado em um nicho

O marketing focado em um nicho é muito mais preciso do que para um mercado amplo, já que um nicho tem muito mais em comum em termos de necessidades, desejos ou preferências. Vender bolsas é um mercado enorme, por exemplo, e há muitos nichos com muitos usos diferentes para uma bolsa. Você pode ter novas mamães que querem uma bolsa que possa ser usada como bolsa de fraldas, você pode ter estudantes universitários que precisam de uma bolsa para guardar seus livros, mulheres que precisam de uma bolsa para segurar o telefone, chaves e cartões de crédito, enfim…

Mas compreender as diferentes necessidades de cada nicho possibilita falar diretamente com eles em seu marketing – você terá uma chance maior de atrair a atenção do comprador e conquistar seus negócios, deixando claro que seu produto é para eles especificamente.

O que é Budget

Budget é um termo da língua inglesa que significa orçamento.

É frequentemente utilizado no meio empresarial para designar o orçamento feito por uma empresa, onde são inseridas variáveis de custos, receitas e despesas, definindo um plano de contas.

Em Marketing, cada valor deve compreender um plano de ação que o sustente.

Nenhum orçamento pode ou deve ser aberto.

Todos devem representar um objetivo e um esforço para alcançá-lo.

Algumas empresas trabalham com cenários.

Se o cenário for otimista, o plano orçamentário será de crescimento e manutenção.

Se o cenário for pessimista, o plano orçamentário será de mais agressivo e de retomada.

O ideal é que as grandezas sejam inversamente proporcional.

O que é Blueprint

Blueprint é uma ferramenta utilizada em várias áreas do conhecimento.

Tecnicamente,  blueprint, diz respeito a  o tipo de cópia heliográfica, um tipo de suporte utilizado em desenho técnico para projetos. Foi popularizado pelos planos que eram orquestrados nos desenhos animados.

Para o design o Blueprints nada mais é do que os pontos de contato entre o consumidor e a marca, ou seja, quando o usuário experimenta ou tem algum tipo de contato com o que é oferecido. É muito útil para visualizar o caminho que é feito e pode se identificar oportunidades de melhorias.

Para a Hotmart, O Blueprint é um sistema de pontuação que qualifica os produtos publicados na Hotmart de acordo com as informações cadastradas pelo criador do produto. Ele tem o objetivo de garantir que apenas os melhores produtos estejam cadastrados na plataforma Hotmart.



Facebook Blueprint é um sistema de aprendizado para entender todos os possíveis sistemas e modelos de trabalho do Facebook. Nele você tem acesso a aulas específicas sobre cada um dos produtos e das melhores técnicas para alcançar o sucesso.

Há uma diferença entre um negócio e uma marca

Como proprietário de uma empresa, ou talvez alguém que esteja interessado em começar um negócio, você provavelmente já ouviu essa citação. Antes de começar o negócio, todo mundo está dizendo a você como é importante construir uma ‘marca’ e ter uma ‘identidade’ … mas o que isso tudo significa? Existe alguma diferença entre marca e identidade de marca?

Se você já tentou pesquisar esses tópicos apenas para se encontrar ainda mais confuso do que antes, você está no lugar certo. Hoje, queremos apresentar a você a ideia de marca, identidade visual e como você pode configurar seu negócio para o sucesso em todas essas áreas.

Definições importantes

Mais tarde, forneceremos algumas dicas para criar sua própria marca.

Antes disso, no entanto, devemos discutir os significados de três termos-chave:

Marca

Ao ouvir essa palavra, as pessoas geralmente pensam em um logotipo específico – talvez você tenha visões do logotipo do McDonald’s ‘M’, por exemplo?

Na verdade, uma marca é mais do que apenas um logotipo (assim como você é mais que suas roupas), pois o conceito também abrange coisas como atendimento ao cliente e como os clientes se sentem em relação a uma determinada empresa, o cheiro, a luz, a cor, o formato… Todos pontos de contato e sua experiência (chegaremos lá).

Com isso em mente, poderíamos definir ‘marca’ como os ativos intangíveis de uma empresa. Em vez de um produto que os clientes podem sentir, tocar e usar, é completamente intangível. Para muitos especialistas, descrevem-no como o relacionamento emocional que uma empresa tem com um cliente.

Mais do que apenas um produto ou serviço, os consumidores procuram desenvolver uma conexão com as empresas. Você já ouviu alguém falar defensivamente sobre uma marca ou produto? Tente dizer aos Harleyros que existe uma opção melhor do outro lado da rua. As melhores marcas podem convencer os consumidores a acreditar em sua empresa tanto quanto os proprietários e gerentes.

Se olharmos para a batalha entre a Apple e o Android como outro exemplo, os consumidores de cada um são extremamente apaixonados sobre qual dispositivo é melhor.

Do ponto de vista tecnológico, ambos os dispositivos são semelhantes – ambos possuem câmeras de alta qualidade, ambos permitem chamadas telefônicas, mensagens de texto e aplicativos. No entanto, os usuários de cada um defenderão a empresa escolhida como se fosse sua própria empresa … esse é o poder de uma marca.

Identidade da marca

Se uma marca é intangível, o que é identidade de marca? Bem, isso é o que discutimos anteriormente com o ‘M’ do McDonald’s porque é tudo o que vemos de uma marca. Isso inclui todos os aspectos visuais, como;

Logotipo

Cores

Tipografia

Embalagem

Gráficos de mídia social

Design de folheto

Por exemplo, uma marca seria bem-sucedida se não tivesse identidade universal? Não.

Se considerarmos a Coca-Cola , pensamos instantaneamente na cor vermelha. Por quê? Porque a cor vermelha é usada absolutamente em todos os lugares em que o nome é mencionado. Seja nos caminhões, garrafas, copos, outdoors, anúncios de TV, páginas de mídia social, etc. Esta é uma decisão consciente da Coca-Cola porque eles querem construir uma identidade.

Se eles tivessem cores e desenhos diferentes para diferentes materiais de marketing, o efeito não seria tão forte. No entanto, é mais do que apenas cor porque seu nome é sempre impresso na mesma tipografia e eles costumam usar uma silhueta de uma garrafa como uma imagem para atrair consumidores.

Branding

Sempre que você lê sobre branding, há um termo que sempre parece acompanhar o tópico: construir. Em vez de “criar” ou “projetar” uma marca, precisamos “construir” uma marca e isso é importante. Se você quer construir uma marca (e toda sua extensão de experiência), esse processo é chamado de ‘branding’.

Se você está iniciando seu negócio, antes de tudo contrate um bom designer.

E juntos determinam o que a empresa (que ainda não é marca) deseja transmitir, aqueles com experiência saberão como traduzir isso em uma identidade de marca. Depois de ter suas cores, fontes e logotipos, o próximo passo é ser consistente e usar essas cores / fontes onde quer que você apareça na frente dos consumidores. Mesmo que seja apenas um cabeçalho do Twitter, isso ajudará a percepção da sua marca e manterá sua marca nas mentes dos clientes.

Isso é um bom começo, mas não é só isso.

Aguardem que vem muito mais.